Juiz determina arresto de bens de sócios de ramo alimentício

O juiz de Direito José Eduardo de Mello Leitão Salmon, da 4ª vara Cível de Curitiba/PR, deferiu em liminar o arresto de bens de sócios de empresas do ramo alimentício. O magistrado considerou que o caso trata de hipótese autorizadora da desconsideração da personalidade jurídica da empresa executada.


Trata-se de incidente de desconsideração da personalidade jurídica movido por uma empresa de comércio de carnes contra empresas com atuação em restaurantes, lanchonetes, casas de chá, sucos. Na ação, a parte autora pretendeu a desconsideração da personalidade jurídica das empresas para que os seus sócios respondam pelo débito.


Tal pedido foi atendido pelo juiz, que verificou a existência de um grupo econômico das empresas devedoras. O magistrado apontou para a identidade na composição dos sócios, "seja através das mesmas pessoas físicas, seja por pessoas físicas integrantes da mesma família", observou.


"A conclusão que se chega é que atuam sobre o influxo de uma vontade comum e compartilharem de estrutura administrativa, de modo que fica clara a existência de um grupo empresarial e econômico."


Por fim, o magistrado considerou a inexistência de patrimônio em nome da devedora principal, bem como, a existência de ação contra uma das empresas, "onde é executada em mais de seiscentos mil reais, verifica-se que há risco de que com o deferimento deste pedido somente ao final do processo importe no esvaziamento patrimonial dos requeridos", ponderou.


Por fim, deferiu a tutela provisória de urgência para o fim de que seja arrestados bens em nome das pessoas jurídicas em questão.


A advogada Mayara Santin Ribeiro, da banca Reis & Alberge Advogados, atuou pela requerente.

Fonte: (https://www.migalhas.com.br/quentes/341557/juiz-determina-arresto-de-bens-de-socios-de-ramo-alimenticio).

Notícias Recentes
Arquivo
Search By Tags